História do Karê


Kare, indiano naturalizado japonês

Desde o início de sua história milenar, o Japão recebeu, adaptou e consolidou elementos estrangeiros na sua própria cultura. Aconteceu com a religião, escrita, arquitetura e gastronomia, entre outras áreas do conhecimento humano.

Da Índia, por exemplo, o Japão teve influência no desenvolvimento do budismo, que, por sua vez, levou junto a técnica de arranjo floral que originou o ikebana.

Porém, desta vez, trataremos apenas do aspecto gastronômico. O kare (nome japonês do curry) tem suas metafóricas raízes na Índia.

Um tempero de história
Não há registro exato de quando o kare começou a ser consumido no Japão. Uma versão da história conta que o condimento foi levado por ingleses durante a era Meiji da história japonesa (1868-1912). Naquele período, a Índia estava sob controle da Coroa Britânica.

Com a Restauração Meiji, após quase duzentos anos de isolamento, o Japão retomou relações internacionais; dessa forma, houve grande curiosidade em relação à cultura de outros lugares, o que incluiu a gastronomia.

O fato é que o kare encontrou boa recepção no Japão. Com o tempo, o condimento foi preparado de diversas maneiras, recebendo muitos tipos de ingredientes. Atualmente, é acrescentado principalmente no udon, tonkatsu e pães.

A variação mais famosa é o kare raisu (curry rice), em que é servido com uma porção de arroz. De tão popular, o prato é considerado típico do Japão, um dos poucos em que se usa a colher ao invés do hashi.

Hoje, o kare raisu pode ser encontrado desde em pequenas lanchonetes nas estações de trem a estabelecimentos de alta gastronomia – literalmente: é servido até no restaurante que fica no topo do Monte Fuji, a 3.776 metros de altura.

Karê ou Curry: conheça os benefícios do tempero indiano

Especiaria de origem indiana composta, basicamente, por:

– Gengibre
– Pimenta dedo-de-moça
– Pimenta vermelha
– Canela em rama
– Cominho
– Pimenta-do-reino
– Cardamomo
– Cravo
– Erva-doce
– Cúrcuma
– Coentro em grãos
** todos os ingredientes são torrados, moídos e usados em diferentes dosagens.

O Curry é amarelo devido a pigmentação da Cúrcuma, principal ingrediente do Curry.

A curcumina ativa a hemeoxigenase (enzima que protege as células contra os dados causados pelos radicais livres) protegendo o cérebro contra doenças neuro-degenerativas, como Alzheimer e Parkinson. A curcumina também possui ação antibacteriana, antiinflamatória, antiviral e também na prevenção das doenças cardiovasculares e câncer.

Dentre outras propriedades funcionais dos ingredientes do Curry, temos:

Gengibre: antioxidante, ajuda a tratar enjôos, combater infecções, prevenir doenças cardiovasculares, é auxiliar no emagrecimento por ativar a termogênese (transforma parte das calorias presentes nos alimentos em calor);

Pimentas: antioxidante, purifica o sangue, auxilia na prevenção das doenças do coração, no tratamento da obesidade (ativa a termogênese), nas dores reumáticas (compressas locais);

Canela: digestiva e antioxidante, ajuda a controlar a pressão sanguínea e a aliviar sintomas da menopausa. Cominho: diurético, auxilia no tratamento de flatulência (gases);

Cardamomo: antioxidante, estimulante e digestivo;

Cravo-da-índia: ajuda a aliviar sintomas da menopausa, a proteger contra aterosclerose e diminuir os níveis de colesterol;

Erva doce: combate tontura, náuseas, flatulência, infecções intestinais e estomacais;

Coentro: antioxidante, digestivo, auxiliar no tratamento da ansiedade, moderador de apetite;

Na culinária japonesa, o Curry é mais consumido na forma de uma sopa (o famoso Karê), onde são acrescentados batatas, cenouras, cebola e carne bovina ou de frango, todos cortados em cubos.